Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Comissão Nacional para REDD+
Início do conteúdo da página

A Comissão Nacional para REDD+

Publicado: Quinta, 27 de Outubro de 2016, 13h21 | Última atualização em Sexta, 03 de Novembro de 2017, 14h27

 

Acesse aqui o Resumo Executivo sobre a implementação da Estratégia Nacional para REDD+ pelo Brasil.

 

A Comissão Nacional para REDD+, instituída pelo Decreto no 8.576, de 26 de novembro de 2015, é responsável por coordenar, acompanhar e monitorar a implementação da Estratégia Nacional para REDD+ do Brasil e é formada pelos Ministérios do Meio Ambiente, que a preside; da Casa Civil da Presidência da República; da Fazenda; das Relações Exteriores; da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; da Ciência, Tecnologia e Inovação; do Desenvolvimento Agrário; e da Secretaria de Governo da Presidência da República. São convidados a compor a Comissão Nacional dois representantes de governos estaduais, um representante dos municípios e dois representantes da sociedade civil organizada. As Portarias MMA nº 91, de 5 de abril de 2016n° 117 de 25 de abril de 2016,n° 242 de 27 de junho de 2016 e nº 209, de 14 de junho de 2017  designaram os membros de cada uma das instituições.

Ao MMA também compete o papel de Secretaria Executiva da Comissão Nacional, sendo responsável por: elaborar a documentação técnica sobre os requisitos necessários para acessar pagamentos por resultados de políticas e ações de REDD+, com base nos insumos produzidos por grupo de trabalho sobre REDD+; desenvolver e implementar o sistema de informação de salvaguardas para REDD+; elaborar relatório sobre a implementação das salvaguardas para REDD+ com base em insumos da Câmara Consultiva dedicada ao tema; propor à Comissão Nacional para REDD+ os limites anuais de captação de recursos com base nos resultados de ações de REDD+ e os valores mínimos por tonelada de CO2 equivalente para o pagamento por resultados REDD+; emitir diploma reconhecendo o pagamento por resultados de REDD+ alcançados pelo País; e disponibilizar informações no âmbito internacional para divulgação dos resultados de REDD+ e respectivos pagamentos.

A Comissão Nacional poderá instituir Câmaras Consultivas Temáticas para subsidiar seus trabalhos. Essas Câmaras serão formadas por especialistas da sociedade civil e de entidades públicas e privadas convidados pela Comissão Nacional. A participação ampla da sociedade por meio das CCTs é um elemento chave para o sucesso da implementação de REDD+ no Brasil ao longo de todas as suas etapas.

O Grupo de Trabalho Técnico sobre REDD+, responsável por prover insumos técnicos para o processo de mensuração, relato e verificação dos resultados de REDD+ no âmbito da UNFCCC também subsidiará os trabalhos da CONAREDD+. O Grupo de Trabalho Técnico é composto por especialistas de universidades e instituições federais de referência na área de monitoramento da cobertura florestal e do uso da terra, bem como em cálculo de emissões e remoções antrópicas no setor florestal.

 

 

texto

 

Os trabalhos da CONAREDD+ foram iniciados com a realização da 1ª reunião ordinária no dia 07 de abril de 2016, na qual foi aprovado o Regimento Interno, publicado pela Portaria MMA n° 143 de 09 de maio de 2016.

 

Acesse aqui a lista de membros da CONAREDD+

 

Acesse aqui o conteúdo das reuniões da CONAREDD+

 

Acesse aqui as resoluções da CONAREDD+

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página